Início » Erês na Umbanda

Erês na Umbanda

Erê

Os Erês na Umbanda são conhecidos por parte de algumas pessoas como crianças, mas não é bem assim…

Eles não são crianças, eles são a sua manifestação!

São seres extremamente alegres e divertidos, vêm sempre as coisas boas da vida e ignoram todas as más.

Dificilmente conseguem ver o mal nas pessoas, isto porque acreditam que todos nós temos algo de bom, por mais pequeno que seja.

A brincadeira está sempre ao seu lado e o divertimento também!

São, sem dúvida, uma entidade simplesmente incrível que todas as pessoas precisam conhecer.

Abaixo iremos mostrar tudo, desde a oferenda, a saudação, oração e até mesmo um pouco da sua incrível história.

Quem são os Erês na Umbanda?

Alguns dizem que os Erês são as crianças da Umbanda, na verdade a manifestação é sim de uma criança…

Porém, eles nunca passaram pela experiência da encarnação.

São seres encantados que trazem para uma gira de Umbanda muita alegria e sinceridade, assim como as crianças fazem.

Afinal, Erê quer dizer: brincadeira ou divertimento em Yoruba, por isto, não poderia ser diferente.

Estes seres de Luz, trazem a energia da renovação, transbordam paz e esperança em nossas vidas, nos enchem de empolgação pelo novo.

Trabalham para a cura, do corpo e do espirito, são verdadeiros e dizem as verdades entre suas brincadeiras, quando estão dando passes ou consultas.

Cada um deles respondem a um Orixá.

Cada Erê, responde então a um Orixá, já que os Orixás não falam, os Erês falam por eles.

Porém, eles vêm na gira de Cosme e Damião, que representam a linha das crianças na Umbanda.

Vejam bem, Erês são seres encantados que não viveram a experiência da encarnação, Cosme e Damião ao contrário foram médicos em suas experiências encarnados, e falamos sobre esta linha em outro artigo.

Alguns nomes para estes seres:

  • Dois Dois
  • Ibejada
  • Ibejis
  • Yori

E teremos para cada Orixá alguns Erês por exemplo:

  • Na vibração de Mãe Iemanjá: Pedrinho da Praia, Zezinho Marinheiro, Conchinha, entre outros.
  • Na vibração de Pai Oxalá: por exemplo teremos: Ritinha, Julinha, Pássaro Branco, Chuva de Prata, entre outros.
  • Na vibração de Mamãe Oxum teremos: Pedrinho da Cachoeira, Raio de Lua, Gota de Ouro, entre outros.

Mas no geral seus nomes são simples e bem brasileiros, como: Mariazinha, Joãozinho, Zezinho, Pedrinho, Rosinha, Ritinha, entre outros.

Mas que levam sempre um segundo nome que pertence ao Orixá para quem trabalham.

Saudação

Imagem ilustrativa

Estas entidades possuem pelo menos duas saudações que podemos utilizar com dois significados diferentes.

Deixamos abaixo elas as duas com o significado logo de seguida!

Oni beijada que significa: Ele é dois, pureza mais beleza

Ou Salve a Ibeijada, ou ainda Salve as Crianças

+ 7 Características dos Erês

Erês na Umbanda imagem de ilustração
Imagem de: UmbandaWiki

Quando eles chegam em um terreiro, ou baixam em um terreiro, no geral já chegam brincando, sorrindo, rindo

Mas alguns chegam chorando!

Na verdade estas manifestações são suas características para descarregar o médium e os consulentes da casa.

Parece que estão sempre famintos e querem doce, bolos e guaraná.

Chamam a quase todos de Tia ou Tio, e aos Pretos Velhos chamam de Vô ou Vó, isto quando trabalham junto com os Pretos Velhos na linha das Almas.

Cada Erê tem seus “apetrechos” que usam para seus trabalhos.

Alguns usam chupetas, outros carrinhos, outros talco, outros boneca, as pessoas pensam que tudo isto é porque são crianças e querem brincar.

Eles querem brincar é claro, mas usam tudo isto para os seus trabalhos.

Alguns molham a chupeta na água e passam na mão do consulente… Outros sopram talco na cabeça do consulente…

Depende muito da necessidade de cada um, e de qual elemento magístico que aquele Erê em especial trabalha.

Apesar de parecer tudo brincadeira, e deve ter esta característica pois é da linha de trabalho deles.

Tudo que eles fazem é muito sério, um trabalho feito por Erê é muito difícil de ser desfeito, só o próprio Erê é que pode desfazer.

Os caboclos de Erês…

Em gira de Erê sempre tem um Caboclo, ou um Preto Velho, que toma conta de tudo para que os médiuns não percam o equilíbrio.

Isto já que podem brincar muito e passar a frente da entidade que está com ele.

  • Dia da semana: sábado
  • Dia de comemoração: 27 de setembro (dia de Cosme e Damião)
  • Cores: azul claro, rosa e branco
  • Comida: doces, balas, bolos, frutas, arroz doce e cocadas
  • Bebidas: guaraná, suco de frutas,  alguns gostam de tomar leite em pó em mamadeiras

Oferendas

Nunca façam uma oferenda se a mesma não for solicitada por uma entidade ou Orixá.

Para cada entrega existe uma necessidade, e elementos que podem ser diferentes.

Em caso de necessidade acenda uma vela para a entidade em questão e peça por ajuda, com certeza Ela virá te ajudar.

  • Bolos
  • Frutas
  • Doces de vários tipos ou apenas a que o Erê pedir.
  • Guaraná
  • Arroz doce
  • Alguns pedem flores
  • Velas azul claro e rosa, e pode pedir também uma fita da mesma cor
  • Local de entrega, no geral pedem para entregar em jardins.

Oração aos Erês: Diversas finalidades

A seguir tem uma poderosa dedicada a esta entidade que serve para várias finalidades.

Poderá pedir aquilo que bem desejar, desde que esteja realmente precisando da ajuda da entidade.

No meio da oração pode fazer o seu pedido e no final fala que faz uma oferenda, portanto se quiser pode oferecer algo do que foi mencionado no ponto anterior deste artigo.

Pode orar quando e onde quiser, o importante é acreditar no seu verdadeiro poder!

OMI IBEJI. BEJÉ ERÓ!

Salve a força das crianças! Salve os Erês força pura, verdadeira, que reluz no céu azul!

Traga ao nosso lar a paz e esperança, zele por todas as crianças.

Encaminhe minhas preces a Oxalá Pai de imensa pureza, que meus pedidos feitos com clareza e verdade sejam atendidos.

(Faça o seu pedido)

Doces crianças, oh Erês! Representantes de Cosme e Damião, que vossa santa proteção me sirva de consolo e apoio nas horas difíceis.

Aceitem minha humilde oferenda que é feita com verdade e fé e interceda por mim junto ao pai de amor surpreso.

Agradeço as crianças! Salve Erês!

Ponto riscado e cantado

Vai começar a brincadeira, é uma grande festa.

O Erê, O Erê, onde está o Erê? 2x

Onde está a Rosinha, está na cachoeira. Onde está o Trovão, mora na pedreira.

Onde está o Folhinha, está na mata a caçar. Onde está o Pedrinho que eu não vejo chegar.

O Erê, O Erê, onde está o Erê? 2x

Onde está o Lazinho, com vovô a rezar.

Onde está o Paulinho, foi conchinhas catar.

Onde está a Aninha, no campo a passear. Onde está Mariazinha que eu não vejo chegar.

O Erê, O Erê, onde está o Erê? 2x

Onde estão os Eres que eu não vejo chegar.

Onde estão os Eres venham logo brincar. Tira, tira o pé do chão.

Conclusão

Esta não é uma linha muito trabalhada na Umbanda.

Infelizmente, costuma-se chamar apenas no dia de comemoração para a entrega dos doces.

Deveríamos ter mais destas giras nos calendários dos terreiros.

Os Erês com sua alegria desmancham qualquer tipo de trabalho, e estão sempre trabalhando em conjunto com os Exus, os Pretos Velhos e Caboclos.

Enfim, se eles precisam de ajuda, correm para quem pode ajudá-los a ajudar o consulente.

A falta de mais giras desta linha se dá pela falta de conhecimento da força, muitos acham que só as outras linhas têm mais força, e que os Erês só sabem brincar, ledo engano.

Todos Eles têm a mesma força, ordenada de nosso Pai Olorum, e cada qual trabalha da sua forma, uns laçando, outros dançando e outros bradando.

Os Erês trabalham brincando, rindo, pulando e se divertindo, e é desta forma que vão levando para longe as energias ruins que atrapalham as pessoas.

Eindo e pulando, vão limpando o campo energético do consulente… Desfazendo assim miasmas, retirando largas astrais e deixando o coração do consultante mais tranquilo e se possível mais alegre.

Oferecem doce para adoçar a vida das pessoas.

Oni Beijada! Salve as Crianças! Salve Erês na Umbanda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *