Cabocla Jupira

Início » Cabocla Jupira

A Cabocla Jupira é muito famosa no mundo da Umbanda!

Possui umas excelentes características e uma história ainda melhor.

É filha de outra Cabocla já falada neste artigo, a Jurema, e ainda de outros grandes caboclos.

É a filha mais nova e uma das mais inteligentes.

Viveu no meio dos índios e foi aí que ganhou toda a sua experiência.

Mas isso vai ser falado logo abaixo na sua história de vida.

Se pretende descobrir mais sobre a história desta entidade, ainda pouco falada, está no local certo.

Sandra, uma Umbandista de nascença, escreveu este artigo utilizando todos os seus anos de experiência!

Quem foi a Cabocla Jupira?

cabocla jupira das matas
Imagem desta Cabocla

Filha da Cabocla Jurema e do Caboclo Sete Flechas, irmã das Caboclas Jaciara, Jacira e Jandir.

Foi a primeira filha do casal.

Cabocla guerreira, flecheira que viveu entre os índios Caetés.

Esta tribo tinha como forma de demonstrar suas forças, e de certa forma preservando a sua raça, a pratica do canibalismo, mas eles não eram canibais!

Faziam disto apenas em um ritual quando necessário, principalmente para seus grandes oponentes.

Esta cabocla era veloz, inquieta e sabia manejar muito bem uma lança!

Coisa que seu pai não gostava muito pois, ela vivia se envolvendo com disputas entre os homens de sua tribo.

Mas este era o seu jeito, Filha de Iansã, não poderia ser de outra forma.

Cabocla Jupira tem como Orixás regentes Iansã e Oxóssi.

São herdados por seus pais Cabocla Jurema e Caboclo Sete Flechas.

Porém alguns dizem que ela é da irradiação de Oxalá com Oxóssi, mas creio na primeira versão, já que sua mãe Cabocla Jurema era filha de Iansã, e por ser a primeira filha do casal a Cabocla Jupira acabou herdando a coroa de sua mãe.

É a princesa das matas, guerreira que mora no Jacutá (ponto de força de Iansã).

Ela ainda ficou noiva…

Chegou a ficar noiva de um índio de nome Juperê…

Mas quando houve a invasão dos portugueses aqui no Brasil, as tribos se agruparam para se defender dos invasores.

Muita gente morreu nesta batalha, entre eles a Jupira e seu noivo Juperê.

Alguns índios conseguiram se esconder nas matas mais fechadas, e sobreviveram.

Porém, ela não corria de uma batalha ou guerra, ainda mais para salvar seu povo…

E ficou na batalha até morrer e morrer como guerreira como tantos outros que se foram naquele dia.

Características de Cabocla Jupira

Características da flecheira

De forte vibração e rude, é guerreira e flecheira!

Uma das únicas Caboclas que usa um penacho.

Usa o penacho em respeito à sua mãe Cabocla Jurema.

Quando em terra, não dança e trabalha com os olhos cerrados, sua postura é muito firme, diferente das demais Caboclas.

Trabalha com descarregos de pessoas, e principalmente com a limpeza dos ambientes.

  • Dia da semana: quinta feira
  • Dia de Comemoração: 20 de janeiro
  • Cor: amarelo é a principal, verde e vermelho e pode ainda usar o azul anil
  • Comida: Frutas as mais variadas, batata doce, raízes e milho
  • Bebida: cerveja branca, água ou vinho (vai depender da Cabocla)
  • Fumo: charutos 

Incorporação da Cabocla Jupira

Acontece e forma rápida, por ter irradiação de sua mãe Iansã, apesar disto não costuma dançar muito.

Quando chega em um terreiro, ajoelha-se com uma das pernas esticadas, com os braços e mãos que emitam um arco e disparam uma flecha.

Solta o seu brado enquanto “lança” sua fecha com os braços e mãos que emitam um arco e disparam uma flecha, solta o seu brado enquanto “lança” sua fecha.

Este brado é para avisar as energias negativas que ela, a Cabocla já chegou e que cada ser vai ocupar o seu lugar de merecimento no astral.

Quando a flecha é lançada em direção ao conga e depois em direção a porta da casa, é para enviar para o altar as energias negativas que já forma recolhidas.

Na porta a flecha tem o mesmo sentindo, enviar para os Exus que guardam a casa as energias negativas capturadas com suas flechas.

A incorporação da Cabocla Jupira é sem dúvida algo maravilhoso!

Trabalha com os olhos quase fechados, dando passes, descarregando os consulentes e limpando o ambiente onde estão.

Na verdade, ela já chega limpando o ambiente de trabalho.

Saudação

Okê Caboclo! Que significa: Salve Caboclo! 

Não temos na Umbanda uma saudação para cada tipo de Caboclo, temos apenas uma que usamos para todos os Caboclos.

Que é Okê Caboclo, porém, podemos saudar todos os Caboclos que chegam com o seu nome!

Ficando assim a saudação: Okê Jupira! Ou Salve Cabocla Jupira!

Cabocla Jupira ponto riscado e cantado

Quem não adora um bom ponto riscado e cantado?

Felizmente esta cabocla possui um simplesmente maravilhoso.

É bastante curto, mas chega perfeitamente para aliviar e espantar todos os males enquanto cantamos!

Passarinho cantou lá na mata da Jurema

Nasceu uma flor pra uma linda cabocla de pena

Jupira é tão formosa!

Nasceu na mata pra você uma flor rosa

Ela é boa ou má?

Nenhum espirito de Luz é ruim.

Eles podem até serem às vezes mais sisudos, enérgicos, bravos, e de poucas palavras, mas todos eles praticam apenas o bem!

Não existe o mal dentro da Umbanda ou uma entidade ruim na Umbanda.

Ela tem um aspecto rude, ela é muito forte e quase não abre os olhos para trabalhar, o que pode fazer com que pareça ser uma entidade má ou brava, mas isto não é verdade.

É a forma de trabalho dela.

Ela não gosta de dançar, sempre preferiu caçar, subir em árvores e grandes pedras e por isto desenvolveu tanta força e garra…

E dançar pode parecer para algumas pessoas felicidade, bondade, compaixão, porém, isto não tem uma explicação e nem fundamentação.

O significado dos seus movimentos

Todo movimento feito por uma entidade em terra tem um significado.

  • Estalar os dedos;
  • Assoviar;
  • Dançar para esquerda ou para a direita;
  • Bater o pé no chão esquerdo ou direito;
  • Bater no próprio peito;
  • Etc.

Tudo tem fundamento na Umbanda e não é porque uma entidade trabalha com a expressão facial mais fechada, quer dizer que ela é ruim ou que faça o mal.

Já disse algumas vezes e não me cansarei de dizer…

Na Umbanda não se pratica o mal.

Pelo contrário, a Umbanda desfaz os males que nós próprios nos causamos com as nossas atitudes e posturas.

Quem faz o mal, são os quiumbas.

Estes são pagos para fazer o mal a qualquer pessoa, mas um quiumba ainda não é um espirito de Luz, um dia ele será, mas ainda não e por isto é que pratica o mal.

Por isto o pai de Santo, ou dirigente da casa precisa ficar muito atento a sua corrente mediúnica para não permitir a incorporação de um quiumba.

Mas isto é tarefa do médium também, que podemos falar em um outro artigo.

Okê Cabocla Jupira!

Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *