Cabocla Jandira

Início » Cabocla Jandira

Cabocla Jandira na Umbanda tem uma história muito bonita e que realmente devia inspirar muita gente.

Ela faleceu e deixou todos para trás, mas não por sua culpa. Mesmo assim, viveu uma vida de culpada e decidiu regressar para todos ajudar.

Todas estas palavras podem parecer sem nexo, mas acredite que após conhecer a sua história tudo vai fazer sentido.

Vai perceber a guerreira que esta Cabocla foi e a coragem que ela teve. Acredite que é uma entidade pouco conhecida, mas incrivelmente poderosa.

Nos dias de hoje não recebe todo o crédito que merece, mas este artigo serve para mudar isso.

Confira logo abaixo a sua incrível história e a maneira como ficou conhecida como a curandeira dos pobres.

História da Cabocla Jandira

Estátua de Cabocla Jandira

Filha de Tupinambá e irmã de Jurema, Cabocla Jandira é da linha da Iaras. Porém, não é uma delas, sua arma é o tacape, vive a beira dos igarapés nas matas.

Era a curandeira de sua tribo, atendia aos doentes e ajudava na preparação dos curumins.

Fazia poções com ervas medicinais, aconselhava, apaziguava, todos da tribo eram encaminhados para ela para aconselhamentos, tratamentos ou para encontrar uma solução para algum problema.

Ninguém fazia nada sem antes consulta-la, tamanha a sua sabedoria.

Já estava com quase 100 anos quando resolveu ensinar uma aprendiz, com medo de morrer e deixar a tribo sem alguém que pudesse lhes ajudar.

Porém a aprendiz não quis aprender, se recusou a ser preparada para a função de pajé.

Sem tempo e já prevendo a invasão dos colonizadores, a cabocla resolveu que só poderia salvar sua tribo de fugissem para o meio da mata, onde os colonizadores talvez não os encontrassem…

Mas não deu certo, os colonizadores encontraram a todos, e a todos mataram, menos a aprendiz que sobreviveu e passou a viver com os brancos.

Então ela foi em busca dos massacrados…

Na espiritualidade, Cabocla Jandira foi em busca dos seus que foram massacrados pelos brancos. Ela senti-a se responsável por cada um deles, e dedicou-se ao resgate de cada um deles.

Felizmente e encontrou um a um, e ajudou um a um. Sentia que era sua responsabilidade ajudar a todos, e assim o fez, por esta ação ficou conhecida como socorrista espiritual.

Alguns voltaram para a terra pois ainda tinha missão para cumprir.

Outros, assim como a Cabocla não precisavam mais voltar e ficaram na espiritualidade ajudando os que precisavam de ajuda.

Atua na linha das Águas, trabalhando e promovendo a cura e a limpeza da aura dos consulentes.

  • Dia da semana: quinta feira (ou sábado que é dia de Mãe Iemanjá)
  • Dia de comemoração: 20 de janeiro
  • Cores: branco, verde e azul
  • Comida: frutas, verduras e raízes
  • Bebida: água, vinho doce
  • Fumo: charuto

Ponto cantado e riscado da Cabocla Jandira

Cabocla Jandura vim de la do Juremá (2x)
Sua força nos conduz salve rainha do mar!
Sua força nos conduz salve mãe Iemanjá!

Oi saravá o seu arco e sua flecha
Oi saravá o seu o seu bodoque e seu congá
Oi saravá a sua banda linda
Cabocla vem nos ajudar! (2x)

Saudação:

Se conhece o mundo da Umbanda sabe que todas as entidades possuem uma linda saudação.

A saudação é uma maneira de os cumprimentar, tal como nos dias de hoje dizemos olá ou damos um aperto de mão.

Neste caso, esta cabocla possui uma linda saudação que pode ver logo de seguida.

Okê Cabocla… Salve Cabocla Jandira!

Incorporação:

A incorporação acontece de forma suave, porém elas são muito rápidas e rodam muito, chegam a deixar os médiuns tontos.

Algumas podem assoviar enquanto chegam outras bradar, e outras apenas emitirem sons que parecem choros…

Mas que na verdade são mantras, que ajudam a fazer a limpeza do local e dos médiuns, assim como os brados ou assovios, que tem a mesma função, limpar o ambiente e os médiuns das energias negativas.

Trabalham com passes e limpeza espiritual para desmanchar trabalhos, enviam estas energias negativas todas para o mar.

Gostam de aconselhar seus consulentes, gostam de ensinar e promover a paz no espirito das pessoas.

Nesta falange vamos encontrar algumas “Jandiras”:

  • Jandira do Mar;
  • Jandira das Cachoeiras;
  • Jandira das Matas;
  • Jandira Flecheira;
  • Entre outras.

Cada uma vai trabalhar e incorporar da sua forma.

A das matas, por exemplo, vão bradar seus gritos de guerra contra as energias negativas.

As do mar vão repetir mantras como se fosse um choro, umas vão ajoelhar e atirar uma flecha energética dentro do terreiro em direção ao conga.

São todas da mesma falange, mas não agem ou trabalham da mesma forma. Mas isto não quer dizer que uma está certa e a outra errada ou que não pertencem a mesma falange.

Cada uma vai trabalhar e se apresentar da sua forma, e usar seus poderes para ajudar aos que precisam.

Oferendas para Cabocla Jandira

Nunca faça uma oferenda sem que ela tenha sido solicitada pela entidade.

Cada oferenda tem o seu fundamento e proposito, por isto, se precisar de ajuda e não puder passar em consulta com uma entidade, acenda uma vela e faça o seu pedido.

Na dúvida de qual vela acender, acenda branca que é aceita por todos os Orixás e entidades.

  • Frutas;
  • Legumes;
  • Raízes;
  • Velas;
  • Bebida que pode ser água ou vinho, ou às vezes champanhe por ser de Iemanjá.

Por ser uma Cabocla de Iemanjá, pode ser solicitado um manjar, que deverá ser entregue na praia, mas no geral são frutas e a entrega pode acontecer nas matas.

Mas mais uma vez digo, vai depender da necessidade e do que foi pedido, aí sim o local de entrega será definido assim como o que deverá ser entregue.

Para concluir…

A incorporação da Cabocla Jandira, acontece com uma certa frequência em terreiros de Umbanda. Isto quer dizer que sua incorporação não é rara.

Quando está em terra, faz o que fazia quando estava encarnada, aconselha, limpa, cura, auxilia com palavras os problemas do consulente.

Quando não está em terra, está na espiritualidade resgatando os que precisam e já podem ser resgatados.

Quando incorporada, tudo que ela recolher do consulente que for energia negativas, será enviado para o mar, para ser absorvido e diluído, nada ficará com o consulente que não seja dele apenas.

Algumas coisas não podem ainda ser retiradas pois fazem parte do aprendizado de cada um de nós, então o que puder ser retirado, será. O que não puder ficará, porém receberemos uma energia extra para conseguir vencer aquela demanda ou passar por aquele aprendizado.

Seus conselhos geralmente são para estas situações, onde nada se pode fazer ainda até que se tenha passado o tempo certo.

Para quem sofre é difícil entender que tem um tempo para tudo, mas tem, até para a cura existe um tempo e contra ele, não há nada que se possa fazer.

Sábios são os nossos Caboclos e Caboclas, sabia é a espiritualidade.

Okê Cabocla Jandira.

One Reply to “Cabocla Jandira”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Experimente todos os nossos oráculos online grátis.

 Jogo de Búzios

 Tarot dos Orixás

 Runas do Amor

 Tarot: Bola de Cristal